Seiken no Blacksmith

Seiken no Blacksmith
R$8,00
Ver detalhes das parcelas
Digite aqui o seu CEP para calcular o frete:

  Seiken no Blacksmith

(The Sacred of BlackSmith)
 

Episódios:   12
Estilo:   Serie de TV
Gênero:   Aventura/Drama/Fantasia
Tema:   Espadachins/Haren
Resolução:  720x480
Áudio:   Japonês
Legendas:  Português
Quantidade:   1 Disco
Opcional:  (1 Box c/ encartes)

O anime conta que ”a Guerra de Valbanil“ devastou a Terra há cerca de 44 anos. Uma das armas mais poderosas usadas durante este período foi o ”Contrato Demoníaco“, onde humanos sacrificavam seus corpos para se tornar demônios, e desses contratos surgiram as espadas demoníacas. Por este motivo, em dias atuais, para evitar novas guerras entre países aliados, este tipo de contrato é proibido e as espadas remanescentes são leiloadas como verdadeiros tesouros. Mas estas espadas são um item extremamente raro e muito especial, já que elas podem tomar a forma humana.

O enredo gira sobre a vida de Cecily Campbell, uma jovem vinda de uma família de ex-nobres que segue a tradição familiar e entra para a guarda real, tornando-se uma ”cavaleira“. Não é habilidosa com espadas e tem um senso de justiça fora do comum e, pode se dizer, fora do aceitável também. Muito faladeira, seu comportamento certinho muitas vezes afeta a sua capacidade de lutar, a qual, como já citei antes, não é das melhores. Apenas força de vontade e treino não são suficientes para se tornar um grande espadachim, pois a grande maioria deles possui um dom, uma habilidade natural, que é uma qualidade ”que falta“ em Cecily. Um dia, por acaso, tentando proteger a população de um ex-cavaleiro enlouquecido pela antiga guerra, ela tem sua espada quebrada e acaba sendo salva por um jovem misterioso que ataca o estranho com sua katana (espada japonesa): ele é Luke Ainsworth.
Luke é um ferreiro de habilidade reconhecida, além de exímio espadachim, mas seu caráter arrogante e preguiçoso o torna uma pessoa distante e fechada, principalmente pelo fato dos anciãos e chefes da cidade o tratarem de forma desdenhosa, pois eles sabem o grande segredo de Luke e o tratam como um mal necessário. Ele e Lisa, sua ajudante, trabalham em uma cabana afastada da cidade. Com o pretexto de consertar a espada, Cecily vai atrás do jovem ferreiro. O encontro não é dos mais agradáveis, visto que Luke acha Cecily fraca, faladeira, inadequada para a função de cavaleiro. Luke e Cecily formam um casal muito estranho, sem relacionamento romântico, devo frisar, apesar das situações e encontros que os amigos de Cecily a colocam. Afinal, acham que ela deve ter um namorado e veem Luke como o par ideal, mesmo que ambos não tenham nada em comum, pois o simples encontro de olhares normalmente acaba em tentativa de pancadaria gratuita. Mas dá pra notar que, lá no fundo, existe uma faísca entre essa dupla estranha, só não se sabe se são fogos de artifício ou uma bomba atômica.
Com o passar dos episódios, surgem outros personagens que desenvolvem a trama, carregando o anime para um lado mais brutal e sombrio, mas um em especial merece ser citado: Ária, a espada demoníaca do vento. Em sua forma humana, ela é sexy, romântica, doce e amigável. Suas memórias se resumem aos acontecimentos da Guerra de Valbanil, quando foi criada, carrega o fardo de ter assassinado milhares de pessoas durante os anos de guerra, mas aceitou seu destino. Pois ela sabe que, às vezes, é necessário matar para proteger. Ela aceita naturalmente ser usada como uma arma, apesar de sua consciência humana ser muito ”mais humana“ que qualquer outro personagem mostrado na série. Ela é uma lindíssima mulher, mas aceita seu destino como um objeto de morte. Também não posso me esquecer de Lisa, a fofíssima ajudante de Luke, que tem apenas um desejo: ”estar com Luke para sempre“. Lisa tem um passado cheio de sombras relacionado com Luke ainda criança, mas vou deixar a sua curiosidade acender nesse ponto: afinal, se Luke (agora um jovem adulto) era criança quando conheceu Lisa, por que ela ainda aparenta ter uns 12 anos? Instigante, não? Mais instigante ainda se notarem a forma, no mínimo estranha, como Luke forja suas espadas especiais.

Mayumi Gojou canta com primazia a abertura da série, ”Justice of the Light“, mas o show fica mesmo por conta do encerramento ”Miracle Happy Day“ interpretado por Aki Toyosaki. A música lembra uma ”marchinha infantil“ que acaba por demonstrar os sentimento de Lisa por Luke. Baseado no mangá seinen escrito por Isao Miura, rendeu 9 volumes lançados em 2007, que foram adaptados para TV em 2009, composto por 12 episódios produzidos pelo stúdio Manglobe. É notória a qualidade do stúdio, visto que seus lançamentos são aguardados com certa ansiedade desde o surpreendente Ergo Proxy. Visualmente o stúdio não decepciona, todos os episódios tiveram acabamento excepcional. Apesar do stúdio Manglobe lançar rigorosamente apenas um anime por ano, a qualidade desses lançamentos o coloca num patamar diferente, deixando-o lado a lado com outros estúdios de renome, e esta qualidade não poderia estar melhor representada no ano de 2009 que por sua obra "Seiken no BlackSmith". E como o anime se baseia apenas em parte do mangá, podemos, quem sabe, aguardar uma continuação.