Gundam 00

Gundam 00 - comprar online
R$28,00
3x de R$9,33 sem juros
Ver detalhes das parcelas
Digite aqui o seu CEP para calcular o frete:

  Gundam 00 Completo

Episódios:   50
Estilo:   Serie de TV
Gênero:   Ação/Drama/Ficção
Tema:   Militar/Mecha
Resolução:  720x480
Áudio:   Japonês
Legendas:  Português
Quantidade:   4 Discos
Opcional:  (2 Boxs c/ encartes)

O ano é 2307. Todos os combustíveis fósseis da Terra se esgotaram, obrigando os seres humanos a acharem uma nova forma de energia: a solar.

Em pouco tempo, foram construídos três enormes ”Elevadores Orbitais“ em todo o mundo, que são geradores de energia solar. Foram então formadas três grandes alianças econômicas em torno destes elevadores, sendo elas: Union (formada pelos países da América, Japão e Australásia), Liga da Reforma Humana (Human Reform League ou HRL, formada pela Rússia, China e Índia) e a União Européia Avançada (Advanced European Union ou AEU, formada pela antiga União Européia com o acréscimo de alguns outros países), cada uma possuindo o controle de um dos elevadores orbitais.
Com uma fonte de energia praticamente infinita acessível apenas a grandes nações políticas e seus respectivos aliados, constantes combates aconteciam pela sua posse. Os países que não tinham acesso a tal energia e nem poder bélico suficiente para lutar por ela diretamente foram engolidos pela pobreza e pelo caos, onde várias guerras civis e grupos terroristas se formavam. Além disso, as grandes nações lutavam entre si para ganhar mais poder.
É nesse mundo em guerra que surge a ”Celestial Being“ (Ser Celestial), uma organização armada e independente fundada por um idealista que falecera duzentos anos atrás, Aeolia Schenberg. Fundada com a intenção de erradicar todos os conflitos e assim criar um mundo melhor, a Celestial Being intervêm em todos os conflitos considerados ameaças a paz no mundo, nunca ajudando um lado ou outro mas, sim, acabando com os dois de uma vez.
Mas como a Celestial Being é tão poderosa a ponto de querer desafiar o mundo inteiro? Bom, ela conta com novos modelos de Mobile Suits (mechas): os Gundams. Estes são extremamente mais poderosos que qualquer outro modelo, equipados com fornos solares (uma espécie de turbina) capaz de utilizar ”partículas GN“, dando muito mais mobilidade aos Gundams, além de serem capazes de formar um ”GN Field“ (Campo GN) que os protegem de praticamente qualquer ataque.
Existem ao todo quatro Gundams fabricados pela Celestial Being, sendo eles pilotados por quatro ”Gundam Meisters“ que atendem apenas por seus codinomes na organização. São estes: Setsuna F. Seiei, um jovem adolescente frio e vítima de uma guerra civil em sua terra natal (onde lutou ainda criança); Lockon Stratos, uma pessoa animada e extrovertida, mas que teve sua família morta devido a um ataque terrorista; Allelujah Haptism, um piloto um tanto quanto emocional e perturbado, tendo uma espécie de dupla personalidade; Tieria Erde, um jovem sério e calculista em todas as situações, sempre colocando os planos da Celestial Being em primeiro lugar.
Como se isso não bastasse, toda a equipe da Celestial Being conta com o supercomputador Veda, programado pelo próprio Schenberg, contendo todos os passos a serem seguidos pela organização e calculando as chances de certa operação dar certo.
O que é realmente certo e errado? Por que os seres humanos têm uma necessidade tão grande de enfrentarem a si mesmos? Motivos como religião e poder político são realmente justificáveis o suficiente para se iniciar um conflito? Seria o mundo pacífico de Aeolia Schenberg tão inalcançável assim?

Basicamente, o enredo de Gundam 00 fala sobre os vários aspectos da guerra (como toda a série Gundam), nos fazendo questionar o nosso próprio senso de justiça, tendo em vista que, na guerra, todos lutam pelo que acham que é certo. Mostra também como a paz é difícil de ser alcançada, mesmo tomando medidas radicais como as da Celestial Being.
Os primeiros episódios da série são um pouco maçantes por apresentarem uma grande quantidade de informação, o que pode deixar o espectador um tanto confuso (só nas explicações sobre as várias facções e conflitos políticos, já é necessária uma certa atenção para entender o que está acontecendo sem se perder). Depois dos primeiros episódios, o enredo flui de maneira mais leve, com um foco maior na própria guerra, deixando a ”politicagem“ um pouco de lado.
A história também conta com vários personagens, tantos que chega até a demorar um pouco para entender o que cada um é no enredo e decorar seus nomes. Apesar de a maioria ter alguma importância na história, existem alguns cujos nomes são pronunciados apenas algumas poucas vezes durante a série inteira, sendo que estes não servem praticamente para nada e acabam sendo esquecidos.
Os personagens Saiji, Kinue e Louise, à primeira vista, parecem estar lá apenas para criar um clima mais descontraído, mas não se engane! À medida que o enredo avança, é possível perceber que eles têm um papel fundamental na história, ao mostrar que mesmo sendo cidadãos comuns e de classes sociais elevadas, o conflito acaba afetando-os de uma maneira ou de outra, pois a guerra afeta a todos, inocentes ou não.
Visualmente, 00 não é nada inovador, mas também não é mal-feito. Apesar de uns slowdowns aqui e ali, a animação é bem feita, principalmente nos combates entre ”Mobile Suits“, sendo estas as cenas mais bem trabalhadas, com vários mechas de cores fortes e movimentos suaves e detalhados. O traço dos personagens também não está nada mal, cortesia de Yun Kõga.
A trilha sonora também é um aspecto técnico forte em 00, tendo músicas memoráveis como as apresentações ”Daybreak`s Bell“ (L`arc-en-Ciel) e ”Ash Like Snow“ (The Brilliant Green), além do encerramento ”Friends“ (Stephanie). As músicas de fundo também não ficam para trás, não tendo nenhum momento em que a música não combine com a situação.
À medida que o enredo vai se desenvolvendo, vai chegando ao seu clímax, que é um dos maiores trunfos de 00... Mas também sua maior falha.
Quando a série vai chegando ao seu final, todo o clima de dilemas e contradições da guerra é deixado um pouco de lado, dando lugar ao maniqueísmo um tanto exagerado por parte de certos antagonistas que lutam por motivos batidos e simples como ”Eu luto porque eu gosto“. Em meio a personagens nesse estilo, todo o clima de incerteza sobre o que é certo e errado acaba por perder seu brilho, fazendo com que os Gundam Meisters sejam evidentemente os ”bonzinhos“ na história.
Além disso, o enredo começa a correr de maneira um tanto quanto forçada, com várias situações inusitadas e meio sem nexo, como a aparição de alguns novos personagens do nada e a súbita importância na história que um personagem praticamente esquecido passa a ter (não vou comentar muito mais sobre isso para não dar spoiler XD). Porém, é justamente em meio a esse desenvolvimento meio forçado que acontecem os maiores eventos do enredo, fazendo com que você pense: ”Esse anime é legal mesmo“.
O final é deixado em aberto, pois esta é apenas a primeira temporada, sendo que a segunda já está sendo produzida e irá estrear ainda este ano, em outubro. O último episódio já dá uma espécie de prévia sobre como a segunda temporada vai ser, para instigar a curiosidade do espectador (e funcionou comigo XD).

Apesar de alguns problemas de enredo, Gundam 00 ainda é uma ótima pedida se você quiser ver um anime realmente bom e inteligente, pois tem ação aliada a uma boa história. Com certeza merece todo o sucesso que anda fazendo. Espero ansiosamente pela sua continuação.